Linha Direta

Vacinação contra Covid-19 é ampliada a todos os adultos nos EUA

Áudio 06:03
Centro de Convenções Lumen Field de Seattle, um dos vários locais dos Estados Unidos transformado em "vacinódromo" para agilizar a campanha de vacinação no país.
Centro de Convenções Lumen Field de Seattle, um dos vários locais dos Estados Unidos transformado em "vacinódromo" para agilizar a campanha de vacinação no país. AP - Ted S. Warren

A partir dessa segunda-feira (19), todos os adultos nos Estados Unidos podem receber a vacina contra a Covid-19. A elegibilidade de jovens entre 16 e 30 anos era a etapa que faltava para expandir a vacinação em todos os estados americanos.

Publicidade

Luiza Duarte, correspondente da RFI em Nova York

Mais de 131 milhões de pessoas já receberam ao menos uma dose de imunizante nos Estados Unidos em menos de 130 dias, isto é desde o início da vacinação, de acordo com os dados do Centro de Prevenção e Controle de Doenças americano. O país com o maior número de casos e de mortes provocados pelo coronavírus vive uma aceleração da vacinação, desde a posse de Joe Biden, em janeiro.

Essa era uma promessa de campanha do presidente. Desde que ele assumiu o governo, a vacinação ganhou impulso no país. Os EUA saltaram de uma média de 300 mil pessoas vacinadas por dia, no início de janeiro, para mais de 3 milhões recebendo doses da vacina contra a Covid-19 a cada 24h, em abril.

A meta do governo democrata era aplicar 100 milhões de doses de imunizante até os primeiros 100 dias do governo Biden. Uma ambição alcançada ainda em março, quase seis semanas antes do previsto. De olho nas taxas de aprovação popular, a atual administração segue a estratégia de prometer menos e entregar mais.

Cerca de 30% da população vacinada

Metade dos adultos já recebeu a primeira dose do imunizante e cerca de 30% da população está totalmente vacinada. No último ano, os EUA se transformaram no país com mais casos e mortes provocadas pelo coronavírus no mundo.

As vacinas da Pfizer-BioNTech, Moderna e Johnson & Johnson receberam autorização de emergência, embora a aplicação dessa última esteja suspensa temporariamente. Autoridades se vacinaram diante das câmeras para reforçar a mensagem de que a injeção era segura e necessária para um retorno à normalidade, em um futuro ainda sem data.

Em agosto passado, ainda durante o governo do presidente Donald Trump, os EUA já tinham encomendado cerca de 800 milhões de doses de seis vacinas que ainda estavam em desenvolvimento. Se a vacinação seguir nesse ritmo, toda a população americana adulta poderá tomar ao menos uma dose da vacina ainda esse ano.

Além de acelerar a imunização, Biden assumiu o compromisso de distribuir imunizantes de maneira prioritária para as áreas mais afetadas pela pandemia. Mesmo assim, zonas vulneráveis ainda estão vacinando menos. Ao contrário de outros países, o governo americano tem se esquivado de acordo de doações de vacina para outras nações e focado em imunizar primeiro os americanos.

Quem pode se vacinar e como funciona

A vacinação começou com os grupos de risco: idosos, profissionais de saúde e trabalhadores essenciais. Em seguida, foi ampliando os critérios. As regras são estaduais e variam bastante. Esse mês, diversos estados começaram a permitir a vacinação de jovens. A partir desta semana, esse grupo pode receber o imunizante em qualquer região do país.

Se os EUA são conhecidos por um sistema de saúde que pratica tarifas proibitivas e endivida famílias inteiras, na vacinação contra a Covid-19 isso é diferente. Ela é gratuita, mesmo quem não tem seguro saúde, não paga nada. O status migratório também não importa para receber o imunizante, basta ter um comprovante de residência no país.

Nova York, ex-epicentro da pandemia, está entre os quatro estados americanos onde a vacinação avança mais rápido. A vacina pode ser agendada online ou por telefone. É possível escolher dia, local, hora e qual vacina, de acordo com a disponibilidade.

Eu já tomei a primeira dose no Javits Center, um espaço de feiras e congressos em Nova York, que foi convertido em centro de imunização. Militares estão presentes no local para apoiar a aplicação do imunizante. Tudo aconteceu sem atrasos ou aglomerações.

Segundo um estudo da Pew Research publicado em março, mesmo com grande polarização sobre a necessidade de medidas de isolamento, a maioria dos americanos acredita que a vacinação vai trazer benefícios para a economia.

Comparação com outros países

Os Estados Unidos estão no topo da lista dos países que administraram a maior quantidade de doses de vacinas contra a Covid-19 até o momento, seguidos da China e da Índia. O Brasil aparece em quinto lugar nesse ranking, de acordo com as informações coletadas pelo Our World in Data.

Já em relação a porcentagem da população vacinada, os Estados Unidos ficam na décima primeira posição, atrás do Chile e de Israel, por exemplo, onde o número de habitantes é significativamente inferior ao americano.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.