O Mundo Agora

Para a China, envio de vacinas de Washington para Taiwan é "provocação"

Áudio 04:38
Iluminação no Taipei Grand Hotel, para agradecer aos EUA que darão a Taiwan 750.000 doses de vacina COVID-19 depois que o alerta COVID-19 subir para o nível 3 , em Taipei, Taiwan, domingo, 6 de junho de 2021.
Iluminação no Taipei Grand Hotel, para agradecer aos EUA que darão a Taiwan 750.000 doses de vacina COVID-19 depois que o alerta COVID-19 subir para o nível 3 , em Taipei, Taiwan, domingo, 6 de junho de 2021. AP - Chiang Ying-ying

O Presidente Biden tomou mais uma decisão estratégica para marcar a presença americana de apoio a Taiwan contra pressões do governo chinês. Após Taipei reclamar publicamente que encontra dificuldades em fechar contratos com fornecedores de vacinas, por conta de uma eventual interferência chinesa no processo de fechamento de contratos, o governo americano tomou a dianteira e enviou 750 mil doses de vacinas a Taiwan.

Publicidade

Numa população de aproximadamente 30 milhões de habitantes, o volume enviado por Biden não é capaz de prover vacinação em massa para toda a população taiwanesa. No entanto, há a certeza pelo lado de Taipei que esse lote inicial não será o único envio de Washington e que novos lotes serão enviados em breve. Ao mesmo tempo, o governo americano se prontificou a ajudar Taiwan a negociar com Pfizer, AstraZeneca e Johnson e Johnson para acelerar o envio de vacinas à ilha.

Naturalmente, o envio de vacinas para Taiwan incomodou as autoridades chinesas, que tratam esse envio não apenas como uma ajuda humanitária, mas também como uma provocação de Washington contra Pequim. A alegação de Pequim de que o gesto não foi apenas humanitário, mas conteve uma dose de provocação diplomática, foi o fato de o envio das vacinas ter ocorrido via um avião militar. Desde 1999, quando os Estados Unidos enviaram ajudas humanitárias à ilha por conta de um terremoto em um avião militar, os EUA não pousavam uma aeronave dessa categoria em Taiwan.

A China quer prover Taiwan com vacinas chinesas, algo que autoridades taiwanesas não querem. Além dos EUA, o Japão, rival histórico da China, também enviou vacinas para Taipei.

A entrega das vacinas dos EUA foram feitas por dois representantes democratas, senadora Tammy Duckworth e o senador Christopher Coons, além do senador Republicano Dan Sullivan.

Questão taiwanesa une republicanos e democratas

A questão de Taiwan é um dos poucos temas onde republicanos e democratas estão bem alinhados durante o governo Biden. Desde que assumiu a presidência em janeiro, Biden vem mantendo uma linha forte de pressão contra a China, transitando por vários temas que vão desde Direitos Humanos até Propriedade Intelectual. Taiwan e a pressão chinesa, por meio de movimentos militares crescentes na região, fazem com que o temor de uma eventual invasão chinesa à ilha aumente diariamente. No entanto, por mais que essa possibilidade ainda seja tratada como remota em Washington, várias autoridades argumentam que o aumento da presença chinesa e da demonstração de força contra a ilha é sem precedentes.

Em paralelo ao envio das vacinas, Biden também "atacou" Pequim em outra frente. A decisão de proibir que empresas, investidores e bancos americanos invistam em 31 empresas chinesa que, segundo Washington, são ligadas às Forças Armadas e/ou à inteligência chinesa, gerou uma revolta dentro do Partido Comunista Chinês.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.