Acessar o conteúdo principal
RFI Convida

"Conferência pelo Brasil" discute desigualdades na Sciences Po em Paris

Áudio 07:21
Os organizadores e presidentes da "Conférence pour le Brésil", Vinicius Reis (esq) e Felipe Lauritzen (dir).
Os organizadores e presidentes da "Conférence pour le Brésil", Vinicius Reis (esq) e Felipe Lauritzen (dir). © RFI
Por: Márcia Bechara
11 min

Estudantes e diplomados da Sciences Po, em Paris, reputada como a segunda melhor universidade em ciência política e relações internacionais do mundo, organizam uma conferência online exclusivamente sobre o Brasil. A "Conférence pour le Brésil" (“Conferência pelo Brasil”, em português) traz um elenco de peso e marca a primeira vez em que a universidade francesa dedica um evento especial sobre o país, com 13 lives do dia 24 de outubro a 5 de dezembro. A RFI conversou com os organizadores Vinicius Reis e Felipe Lauritzen para conhecer mais detalhes da programação.

Publicidade

"Ano passado, quando decidimos criar essa conferência, percebemos que havia um interesse e um espaço para a construção deste espaço na França", conta Vinicius Reis, também presidente e fundador da "Conférence pour le Brésil". "França e Brasil compartilham laços históricos, culturais e econômicos muito importantes. Ano passado, a França se tornou um dos maiores investidores estrangeiros no Brasil", lembra Reis. "A ideia era trazer essa conferência para Paris, nos moldes que já são conhecidos em Harvard e Oxford, mas com um conceito novo", diz.

Em 2020, o tema escolhido foi "Superando desigualdades: 10 anos para os ODS (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável)". O painel de abertura, sobre Desigualdade e Multilateralismo, contará com dois ex-chanceleres, Celso Amorim, do Brasil, e Irina Bokova, da Bulgária. Bokova também é ex-diretora-geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, as Ciências e a Cultura (Unesco).

Entre outros nomes confirmados nos painéis seguintes da "Conférence pour le Brésil", constam o ex-candidato à presidência  pelo Partido dos Trabalhadores, Fernando Haddad; Flávio Dino, governador do Estado do Maranhão; o ativista racial Raull Santiago e a jornalista Patrícia Campos Mello.

"Inicialmente, a conferência aconteceria presencialmente aqui em Paris, em abril deste ano, mas por causa dos rumos que a pandemia tomou, a gente decidiu adiar e ir para um formato totalmente online", explica o também organizador e fundador da Conférence, Felipe Lauritzen. "A gente decidiu centrar na temática das desigualdades porque o Brasil é um dos países mais desiguais do mundo. Segundo o relatório de desenvolvimento humano do Pnud, de 2019, o Brasil foi colocado como o segundo país mais desigual do mundo", ressalta Lauritzen. "A pandemia só acelerou esse processo. A gente vê que existem populações que são muito mais vulneráveis à questão das desigualdades do que outras", analisa.

"A ideia é falar de desigualdades, mas com a perspectiva de soluções, é por isso evocamos os 10 anos para o cumprimento da agenda 20/30, plano organizado pela ONU para o desenvolvimento sustentável global", pontua o organizador. 

Os painéis serão transmitidos pelo YouTube e Facebook (@pourlebresil em todas as redes sociais), como também pelo Twitter do parceiro da conferência, o Headline Brasil (@headline_BR). O evento será gratuito e aberto a todos, disponível em português, inglês e  linguagem de libras.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.